Páginas

terça-feira, 30 de novembro de 2010

E essa juventude!?!?

    É, eu concordo plenamente com quem a chama de juventude transviada. E eu ainda completo, a chamo de precoce, me arrisco também em chamá-la de impura. Me pergunto todo dia onde esse mundo vai parar com todas essas notícias que vemos por ai de jovens de 20 para baixo se drogando e praticando crimes muitas vezes bárbaros, meninas com idade bem mais inferior se prostituindo. Bom, é uma grande falta de atenção da política aos mais necessitados, disso todo mundo sabe. Mas a questão toda vai bem mais além das necessidades físicas e mentais da sociedade, há também em alta quantidade, ausência de amor.
    Sim, esse é o principal motivo que acarretou aos jovens do mundo a tomar esses tipos de caminhos.
    A contrução da dignidade humana de um indivíduo começa em seu lar, com a sua família, se os pais de uma criança a tratam com carinho, ela responderá ao mundo com carinho, se esses pais a tratam com violência, desamor, alta agressividade, ela mais tarde estará tomando os mesmos caminhos, com tais atitudes. Com certeza isso virou um ciclo há muito tempo, mas sinceramente, os que não agem com tal comportamento muitas vezes discordam disso tudo, o único problema é que eles ficam sentados sem fazer nada. Por medo? Tá, que seja, mas que todos saibam que com isso, só contribuem para o crescimento de todos esses casos.
    Se todos fizessem a sua parte de denunciar violência à criança, mulher, ou seja lá quem for, tenho certeza de que as porcentagens que vemos todos os dias nos jornais de mortes diminuiriam bastante, e favoreceriam o crescimento de um mundo mais justo, mais seguro e mais feliz para nossos filhos, netos e os filhos deles.
   O universo vive a base de trocas, você recebe o que dá, mais cedo ou mais tarde, suas ações têm uma consequência, não interessa quando essas consequências vêm, de qualquer forma elas baterão a sua porta.
   É triste ver como no mundo há uma grande parcela de ignorância, e com ela vem o desconhecimento da vida, do amor, e do que mais realmente importa. Muito fácil é achar que só você tem sentimentos e que só você pode ser ferido, afetado de alguma forma (inúmeras formas), será mesmo que é tão difícil enxergar que os outros também sangram? Será mesmo que só há alguns livres de culpas e de responsabilidades das suas ações? Ora, se as pessoas vivem mesmo, o simples fato de viver já é uma ação. Então viver já é uma responsabilidade. Mas aí é que tá, não venha confundir responsabilidade com culpa.
   Responsabilidades, você tem o tempo todo, elas vêm de acordo com sua maturidade. Muitas delas são decisões a tomar, mas também é o bom-senso de enxergar se isso pode ou não ser uma boa decisão, porque uma pessoa responsável não sai por aí fazendo o que der na telha sem medir os impactos que essas ações podem provocar. Culpa já é até um termo mais pesado. Diria que ela é até negativa. Porque culpa é na verdade um sentimento que você tem por não se responsabilizar por alguma coisa, por não ter feito, ou mesmo por ter feito (note: não fazer já é uma ação, é deixar de fazer) algo que não deveria. Eu tenho essa coisa de "algo que não deveria" apenas como distinção de mais ou menos adequado, e não "certo ou errado". Isso tudo porque tudo o que executamos tem uma reação, seja ela positiva ou negativa, pronto, é aqui onde eu quis chegar: Não existe mesmo nem certo, nem errado, existem resultados positivos e negativos, dependendo do ponto de vista de cada um, dependendo das situações.
   Enfim, do que o mundo mais precisa é de sabedoria, amor, afeto...

   Finalizando, o que eu penso mesmo é que Responsabilidade é inevitável, a culpa, opcional.

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Você não pode...

...Mudar o mundo, mas sim, seu universo. Você, eu , todos temos um paraíso interno chamado universo particular. Não somos responsáveis por mudar o mundo (até uma certa ocasião, não), mas sim, podemos começar mudando nosso universo, nosso mundo. Grandes mudanças vêm de dentro. Coisas pequenas tornam-se grandes, medo transforma-se em coragem. Pensando  melhor, mude o mundo, começando com pequenas mudanças: Mude seu universo, então, você terá mudado o mundo automáticamente. 
    Mudanças são como a natureza, claro, pois inverno torna-se primavera, dia torna-se noite. Assim são as mais simples mudanças. Nem eu, nem você, ninguém  tem a mínima noção da importância que tem no mundo, como os adolescentes não sabem a força que têm. Mas temos uma certeza: Nossas ações têm um imenso efeito no mundo. Assim como o simples bater de asas da borboleta tem efeito no tempo.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Mídia Lava-Cérebro

      Certo, na minha infância já tive aqueles brinquedinhos criados a partir de desenhos animados, uma banda de sucesso ou seja mais lá o que for. Só que hoje em dia, tenho isso como uma coisa não muito positiva. Não acho legal a mídia influir até no que você vai ou não consumir, eu acho que isso é como se eles estivessem mandando você comprar ou consumir isso e aquilo, é uma coisa que não lhe permite escolher, obter opniões próprias acerca do que há a seu redor.

     Reflita: Eles mandam mesmo em você ou você tem vontade própria?

   A mídia faz muito com que você compre aquilo superfluamente, quero dizer, às vezes é apenas por impulso. Eu me arrisco a dizer que a mídia, a moda, as propagandas, todas essas coisas que participam do sistema comercial, acarretam muito aos distúrbios consumistas, aquelas compulsões.
   Eu não estou dizendo que você não deveria estar fazendo isso, até porque eu também estou dentro do sistema quer, goste, ou não, mas estou, o que eu estou apenas tentando dizer, é que se nós podéssemos nos esforçar para comprar (já que o sistema é assim mesmo) apenas o necessário, ou mesmo aquilos que realmente queremos e pronto, não tinhamos esse problema de virarmos zumbis ao comando do consumo, da mídia, ou mesmo do dinheiro. Assim como eu me pergunto quem sou eu para dizer o que é certo ou errado, eu me pergunto: Quem são eles para dizer o que devemos ou não comprar/consumir?  Quem são eles para dizer como devemos gastar nosso tão suado dinheiro (eu ainda não suo, mas tudo bem)?
    
  E mais, onde fica a liberdade nisso tudo?

   Pulando um pouco a história, isso não funciona apenas com o sistema capitalista selvagem. Muitas vezes eu vejo por aí, questões assim em relação até mesmo ao gosto pessoal. Toda vez saio por aí, e vejo pessoas ouvindo musica tal do artista tal apenas porque esse está na moda. Onde fica sua opnião nisso? Ouvir, consumir, ou mesmo pensar coisas só porque o do lado faz o mesmo? Me deixa besta toda essa facilidade que essa nave chamada Terra, com seus tripulantes alienadores têm de influenciar em tudo os outros.

   Começo até a pensar que liberdade não existe, e se existe, é bem longe disso tudo. Só sei que não serei mais uma robô a participar desse teatro de horrores que é esse sistema que tira toda a liberdade humana e a capacidade de pensar naquelas coisas que realmente importam na vida. Que só deixa espaço para você sacrificar sua vida e sanidade para conseguir um papelzinho verde e umas moedinhas de metal em troca de coisinhas que você nem quis comprar mesmo por sua vontade, mas porque os anuncios mandaram, e a indústria publicitária impôs como regra universal. Onde fica o sentir? O sonhar? E o lutar pelo que realmente importa? Todas essas coisas materias ficam, nem se preocupe. A questão é o que vai e talvez você nunca mais veja, como aquelas pessoas queridas que você tanto ama, e quanto ao seu coração? Quer, goste ou não, seu coração é feito de carne e osso, e sangra todo dia (frase clichê, deixa para lá, foi o que me veio), você tem sentimentos, não os reprime, porque cada um deles é único, assim como as pessoas com quem você convive. Há muito mais no universo que o ser humano já pôde ver. Queria que não fossem essas futilidades a cegá-lo e afastá-lo daquilo com que ele certamente se sentiria mais feliz.
    O que aconteceu com aquela busca incansável da felicidade? Pelo menos eu tentarei valorizar mais o que há de importante, de necessário na minha vida, por mais que esse exército lavadores cerebrais tentem sugar de mim minha essência, nunca deixarei que aconteça, nunca serei mais uma alienada a seguir um destino tão destruidor, porque sim! Eu acredito que há muito mais dentro de uma pessoa que se possa imaginar, eu acredito que por mais que a maioria da porção humana seja cosumista, materialista, e tudo mais, que a outra maioria é sim capaz de sentir,sonhar e desejar coisas que vem do ser, e não essas coisas tão materiais e mesquinhas. Digo tudo isso porque eu não quero que o ser humano seja esteriotipado como materialista, mente pequena, que não dá atenção ao belo da vida. Quero que sejamos o que viemos ser: Felizes.
  

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Da 3ª lei de Newton...

    "A toda ação corresponde a uma reação"


     Sabe? Eu não diria que isso se aplica apenas a física. Muito antes de isso estar na matéria exata, ela já estava na vida. Claro, porque, a 3ª lei diz que a ação e a reação têm forças iguais, mas é ai que vem a questão. Na vida, a coisa é bastante diferente: A reação é milhões de vezes ,maior que a ação cometida.
     É incrivel achar vida até em aulas. Claro, é só o que podia acontecer mesmo, já que tudo está conectado a tudo, é tudo interligado. Todas essas coisas da vida tem algo a nos ensinar. A escola é bem mais do que um local muitas vezes cheio de desinteressados e um sistema educacional nada agradável.
     Dá para tirar delas outras coisas, dá para enxergar bem mais do que exatas, fórmulas, regras, números,cálculos, leis e outros "blá, blá blás" da vida (da vida não, do sistema educacional decadente). Mas sim, lições morais, aquelas que servem para a vida inteira, aquelas que transformam você em um ser humano digno...


Escrito 10/11/10
Na última folha do caderno,
no meio da baderna da minha sala.

domingo, 7 de novembro de 2010

Cabeça de pipoca - Doce Infância 2

Sabe aqueles apelidinhos carinhosos que você ganha quando pequeno? Pois é.

   Até alguns anos atrás, as minhas irmãs gostavam de me chamar de "Dharoca, cabeça de pipoca". O que eu achava e acho super fofo, não lembro de ter me zangado com isso nunca, muito pelo contrário, na verdade, esse apelido ficou até hoje. Tanto é, que não são mais só minhas irmãs e minha mãe que me chamam assim, até os amigos hoje em dia entraram na roda. É claro que existiram aqueles apelidinhos chatos que se remetem aos "defeitinhos esteticos", aqueles que eu não vou mencionar. Não porque eu fiquei zangada com isso até hoje, não, eu ficava, é diferente. Acabando o assunto de apelidos, neste exato momento, as lembranças da minha dulcíssima infância estão aflorando. Lembro muito daquelas brincadeirinhas que todos faziam comigo quando eu era criança. Aquele famoso beijinho de esquimó, e também quando minhas irmãs me pegavam pelos braços e pernas, uma segurava os membros inferiores, e a outra, os superiores, e saiam pela casa comigo,gritando: OLHA O CARNEIRINHO!
    Acho que são tantas coisas nesse baú de ouro que é a infância que momentaneamente não cabe tudo na memória, elas vêm em momentos inesperados. Mas que está tudo guardado para sempre na minha vida, está.

P.S: É, é por isso o nome do email, vocês não achavam que eu simplesmente inventei, né?

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Artigo

   Ah, o artigo. É tudo que escrevo e digo. Artigo, é a arte do que eu digo.  Tudo o que escrevo sai saltando, são bichinhos saltitantes prestes a gritar, rir, chorar, seja lá o que for. Como diz uma das minhas mestras em seu blog:

" As palavras
querem sair
gritando, sussurrando,
 falando, chorando, rindo.
Não há como impedir
De todas as maneiras,
de qualquer maneira
Elas sairão"

     Para mim, as palavras são vivas, tão vivas, que tem sentimentos, emoções. Para mim, se bobear, elas até tem cor, formas, cheiros, é só seu dono pintá-las, inventá-las. Palavras, apesar de serem vivas, não tem vontade própria (não que isso fosse novidade), são os seus donos que fazem delas o que são depois de serem ditas, escritas, ou mesmo até desenhadas. Palavras tem o dom de serem sentidas ao serem vistas, portanto, sentimos quaisquer sentimentos dependendo das mesmas. Muito, muito cuidado com elas, pois já que você faz delas seres animados, você pode fazer delas flores, amores, todas aquelas belezas da vida.
    Mas também pode ferir os outros se fizer uso indevido, ao mesmo tempo em que elas podem acariciar, elas podem ferir e deixar hematomas, arranhões, daqueles que são os mais difíceis de curar, os do coração.
    Enfim, acredite, não há dor maior do que aquela causada por letras mal colocadas, palavras mal ditas.

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Todos somos irmãos

 Queridos individuos de outras regiões brasileiras, sei que não são todos que nos atacam com o terrivel preconceito contra o nordeste, mas eu estou falando principalmente com quem ataca.
   Ninguém parou ainda para pensar que somos do mesmo país e que não deveriamos ter tanta desigualdade entre nós? Isso tudo só gera ainda mais desigualdade. Acaba até passando uma imagem torta nossa aos outros países. Todas essas pessoas que agem de má fé atacando nossa região ainda não se tocaram que estão atacando o próprio país, gerando mais desigualdade, pondo mais diferenças, mais barreiras.
   Nós nunca abrimos a boca para falar mal de vocês (pelo menos eu não), porque então vocês ainda vêm gerar tanta desavença? Eu nunca ouvi falar de nenhuma provocação partindo daqui para outras regiões, eu sempre fui informada de outros falando de nós, até muitas vezes na cara-de-pau de dizer em rede nacional, já houve muito isso aqui. Eu não tô querendo me igualar a ninguém, eu não tô nem xingando ninguém. Apenas estou demonstrando minha indignação diante de tanta falta de paz que há no mundo, ou até pior, em um país. Pelos próprios moradores dele. Até onde isso vai parar?
   Todo mundo sabe que ninguém aqui é diferente de ninguém. Ninguém é mais capaz do que ninguém
    Todos somos I-GUA-IS. Eu nem vou mentir, eu até admiro outras regiões pela diferença de cultura, pela variedade. Mas eu não vou aturar toda essa violência contra o semelhante.

Saudade é o amor que fica.

  Desconheço o autor. Isso não me interessa. Venho aqui prestar uma homenagem a um cara, que passei pouco tempo junto, mas que esse pequeno período valeu a construção do amor que sinto por ele.
  Em 2009, no mês de dezembro,ele deixou todos aqui com etarnas lembranças da pessoa incrível que ele era. Esse cara era meu tio. Me arrependo até hoje de ter feito uma pequena reunião de aniversario meu do de 6 do mesmo, enquanto ele lutava contra um câncer intestinal, que resultou em sua morte 4 dias depois.
   Só depois eu caí na real, só depois eu amadureci, deixei de ser criança e entendi que deveria ter ficado calada, deveria ter deixado todos os familiares em suas casas, fiz um evento em má hora. Só não adianta chorar ao leite derramado. Mas enfim, eu não vim aqui me queixar do que passou, eu não vim falar da tristeza que fica quando se perde alguém que ama. Nada disso, vim falar das lembraças que ficam, dos abraços apertados, das conversas com minha mãe e os outros irmãos em que eu estava perto olhando todos falar. Ainda hoje lembro do dia do aniversario de minha irmã, em que estavam todos os tios, primos, amigos... Um dia alegre. Ainda lembro de como ele me comprimentava. Eu dizia abraçando-o timidamente :

- Oi, tio!
 E ele me respondia:
- Oi, tia!

 Guardo muitas lembraças.

   Ele era o tipo do cara um tanto rabugento, mas não era o rabugento chato, era um tipo doce, uma pessoa que ao mesmo tempo que não era lá tão sorridente, não gostava que cantássemos parabéns no seu aniversário, ele era gentil, atencioso. Um dos tios que eu mais estimo. Ainda lembro do seu último aniversário em que completava 46 anos. Estávamos na casa dele, e no final de tudo, me abraçou com força.
   Naquele dia, eu realmente senti que aquele abraço soou como uma despedida, me incomodou.

   Passado todo esse tempo, sinto uma imensa falta dele. É tão ruim ter que conformar-me com o fato de que nunca mais o verei novamente, de que sempre faltará um lugar na mesa de natal, e faltará mais ainda sua presença em outras ocasiões, já que ele era tão participativo.

   Tio Carlos Gonzaga, dorme em paz e saiba que você sempre estará guardado dentro do peito de cada um que teve a honra de participar da sua vida.

Te amo eternamente.