Páginas

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Saudade é o amor que fica.

  Desconheço o autor. Isso não me interessa. Venho aqui prestar uma homenagem a um cara, que passei pouco tempo junto, mas que esse pequeno período valeu a construção do amor que sinto por ele.
  Em 2009, no mês de dezembro,ele deixou todos aqui com etarnas lembranças da pessoa incrível que ele era. Esse cara era meu tio. Me arrependo até hoje de ter feito uma pequena reunião de aniversario meu do de 6 do mesmo, enquanto ele lutava contra um câncer intestinal, que resultou em sua morte 4 dias depois.
   Só depois eu caí na real, só depois eu amadureci, deixei de ser criança e entendi que deveria ter ficado calada, deveria ter deixado todos os familiares em suas casas, fiz um evento em má hora. Só não adianta chorar ao leite derramado. Mas enfim, eu não vim aqui me queixar do que passou, eu não vim falar da tristeza que fica quando se perde alguém que ama. Nada disso, vim falar das lembraças que ficam, dos abraços apertados, das conversas com minha mãe e os outros irmãos em que eu estava perto olhando todos falar. Ainda hoje lembro do dia do aniversario de minha irmã, em que estavam todos os tios, primos, amigos... Um dia alegre. Ainda lembro de como ele me comprimentava. Eu dizia abraçando-o timidamente :

- Oi, tio!
 E ele me respondia:
- Oi, tia!

 Guardo muitas lembraças.

   Ele era o tipo do cara um tanto rabugento, mas não era o rabugento chato, era um tipo doce, uma pessoa que ao mesmo tempo que não era lá tão sorridente, não gostava que cantássemos parabéns no seu aniversário, ele era gentil, atencioso. Um dos tios que eu mais estimo. Ainda lembro do seu último aniversário em que completava 46 anos. Estávamos na casa dele, e no final de tudo, me abraçou com força.
   Naquele dia, eu realmente senti que aquele abraço soou como uma despedida, me incomodou.

   Passado todo esse tempo, sinto uma imensa falta dele. É tão ruim ter que conformar-me com o fato de que nunca mais o verei novamente, de que sempre faltará um lugar na mesa de natal, e faltará mais ainda sua presença em outras ocasiões, já que ele era tão participativo.

   Tio Carlos Gonzaga, dorme em paz e saiba que você sempre estará guardado dentro do peito de cada um que teve a honra de participar da sua vida.

Te amo eternamente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário