Páginas

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

E os Loucos não existem, certo?

     Acho muito engraçado quando chego em lugares em que há pessoas que começam a me tachar de louca só pela minha forma diferente de pensar e agir em relação ao mundo. É como se a humanidade estivesse agora programada para agir de acordo com o que pregam. Há pessoas que não querem mais nada como verdade, além do que já pensam. É, esse assunto parece tão manjado aqui, mas é o que mais me indigna, esse mundo cheio de conformados, que só querem permanecer na mesmice e pronto. Isso é perder o sentido da vida. A inércia tem dois estados: Ou o objeto está em constante movimento e constante velocidade, ou está totalmente parado. Acho que as pessoas se conformam muito em ficar no segundo estado da inércia citado. Embora a inércia em constante movimento soe mais produtivo, parece não ser lá uma boa idéia, não. Aliás, estar inerte não serve como opção para o ser humano. Todos nós variamos de velocidade, claro. Todos nós temos limites.
  "Ei! E o papo da loucura e do conformismo??" Tá, tá bom! Já vou! Então, voltando ao conformismo, que eu estava falando justamente disso quando citei a inércia, é isso que estraga o gostinho doce da vida.
   Ora, mas se o bom da vida é a evolução, para quê toda essa mesmice? Para que ser tão "maria-vai-com-as-outras"? Estão reconhecendo essa conversa de algum lugar? Pois é, fazer o quê?

   P.S: Só para concluir:  Loucura é não achar graça no novo. E mais, ainda fico com aquela idéia de pensar no fato de as pessoas ainda  não terem um pingo de opinião e aceitarem o que estiver na moda. Isso é ter tudo mastigado, é ter opnião formada e não mudar. Isso não entra na minha cabeça mesmo, sabe?
  

Nenhum comentário:

Postar um comentário