Páginas

domingo, 20 de fevereiro de 2011

Mais uma dose, por favor...


   Quero mais uma dose de carinho, de ternura, de dias mais azuis, de sorrisos por onde passar. 
   Quero mais belas palavras, ditas bem baixinho.
Quero mais amor.
Quero mais olhares suaves.
   Quero ver mais vezes aquela doçura que vem de dentro das pessoas sem elas perceberem.
   Quero olhar mais vezes para cima e sentir todas aquelas queridas pessoas perto de mim.
   Quero mais oportunidades de dizer silêncios. Porque diálogos não são feitos apenas de palavras e vozes. Há também aquele diálogo que vem de dentro do coração.
Quero ver o pôr-do-sol com toda aquela explosão de cores cheias de graça e alegria.
 Quero perder a conta de estrelas no céu de tanto admirá-lo.
Quero sentir a ventania despentear os cabelos e fazer aquele barulhinho engraçado em meus ouvidos. Quero sentir os sabores e esquecê-los só para ter de lembrar como são todos os dias.
 Quero ouvir todos os sons, tendo consciência de cada um deles. Sentir cada vibração, cada energia.
  Porque o universo é amor!

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Espaços

"As coisas vêm até você quando dá espaço a elas. Dê espaço às coisas boas do mundo invés de se concentrar na dor e na tristeza."

     Foi o que me veio neste momento com tantos e tantos pensamentos acumulados na mente. Um pouco sem inspiração para escrever aqui. Mas hoje me veio essa reflexão que me fez pensar: "olha só quem fala..." porque como qualquer ser humano com fraquezas, eu também cometo meus deslizes e acabo dando espaço para o que não devia, a dar para coisas que interessam bem mais. Com esse espaço indevidamente ocupado, costumamos cometer equívocos.

     Ter medo é um deles. E o medo, é um dos fatores que acarretam a outros, criando assim uma bola de neve se você não tomar consciêcia disso e tomar medidas que solucionem tudo. É tudo uma questão de permitir e se permitir.

     Concentremos mais e nossos objetivos, em nossos objetos de amor, bem como: A família, os amigos, o trabalho, os estudos, as pessoas para quem você sorri por onde passa, para quem você abre a porta, você mesmo...
 
     Porque não há como fugir disso. Tudo está interligado. O amor-próprio é por onde tudo começa, porque sem se dar importância, não existe outra forma a não ser essa de dar importância aos outros. Então, antes de tudo, demos espaços a nós mesmos.