Páginas

sábado, 9 de abril de 2011

Felicidade não bate na porta de ninguém... E o Destino?



    ...Nós é que temos que bater na porta dela.  Felicidade não é uma meta, mas um conjunto infinito de objetivos. No dia que o ser humano parar de sonhar, vai parar de viver, estará apenas vegetando e estará infeliz. Felicidade é uma ponte para se chegar ao outro lado, uma ponte a qual você contrói a medida que vai atravessando o rio.

       Para mim, as coisas realmente não se resumem em buscas constantes pela felicidade. A vida é uma aventura e tanto para ser tida como principal objetivo.  Acho que quero fazer da minha vida, um livro cheio de experiências, sejam elas como forem.  Não me interesso em resumir minha vida em uma simples busca da felicidade, porque tem muita coisa para ver além da felicidade.

       E o destino? Acho muito relativo. Quem sabe o indivíduo não se acomode na idéia de que tudo na vida depende do destino, e que tudo já está pronto para acontecer, na hora certa e blá blá? Devem ter pessoas assim, hoje em dia tem de tudo. Mas o futuro está em constante mutação de acordo com o presente.

        Eu chamo o universo de destino. Se você pára, fica parado, e pronto, o universo pára junto. E com essa parada, as coisas também podem sofrer consequências.

Nenhum comentário:

Postar um comentário