Páginas

terça-feira, 31 de maio de 2011

É sim, belo e incerto...

        E não mais temido e incompreendido. Tanto que se consegue descobrir paz, mesmo que tudo pareça estar no fim. Mas não é que seja fim. Acho que nada se trata de fim. Talvez, tudo seja feito de recomeços.
        Há uma paz imensurável dentro de mim, que supera qualquer coisa que cause paralisias nos seres. Sim, estou falando naquilo que é temido por muitos, mas sei que não sou a primeira nem a última a descobrir que há algo muito maior que supera a morte.
         Toda essa névoa escura, fria, tenebrosa, vai embora quando temos a certeza de que ninguém morre realmente. Essa saborosa paz que preenche meu ser, é a certeza de que as pessoas queridas, todas aquelas das quais sinto falta no meu dia-a-dia, materialmente falando, estão sempre comigo. Quero dizer: Elas não estão realmente ausentes! Posso não mais vê-las. Mas tudo o que sentia por elas, ainda sinto, firme e forte.
         Já dizia aquela frase, título de um livro: "Quem se atreve a ter certeza?", que aliás, virou uma frase meio clichezinha, embora não tenhamos provas concretas da existência [pelo menos, não material] de um ser superior, temos algo dentro de nós, que nos move acreditar em tudo! Ok, não que eu não acredite em Deus. Tenho um pé no catolicismo. Só que, mais do que nunca, sou ligada aos sentimentos. Acredito que tudo o que existe no universo é dotado de energia, maravilhas inesgotáveis. Não sigo dogmas, e regras, mas tenho algo que é bastante diferente de religião: Religiosidade, mais apropriadamente dito, fé.
        E se todo ser tem energia, se neles, correm energias, eles têm alma! O que fica, é isso. No meu coração, estão todas aquelas pessoas que deixaram o mundo terreno, material. Mas sempre há vestígios guardados em mim. Se eu acredito em anjos? Ah, mas é bem por aí mesmo que vai a minha linha de pensamento, digamos assim.
        Se todos têm missões nesse mundo, não é depois da passagem que tudo acaba... Enfim, se eu sinto saudades, então, há amor! Isso é eterno e ninguém tira.

        É assim: O fim é belo incerto, depende de como você vê ♫ ♪


Nenhum comentário:

Postar um comentário