Páginas

segunda-feira, 2 de maio de 2011

A simplicidade é sofisticada.

 
     Na maioria das vezes, penso que somos como uma árvore. Começamos como uma pequena semente. Criamos troco, galhos, e por fim, folhas. Frutos e flores, algumas árvores, dependendo de quais sejam, criam mesmo. Mas acho que no nosso caso, somos daquelas árvores mais simples: Frutos e flores, elas crescem, não sei se posso dizer que elas crescem com o seu merecimento. Penso que elas crescem através de suas ações. É como se fôssemos árvores simples, que não permanecem com uma copa simples, apenas verde por muito tempo. Evoluímos.
    
     Todos nós temos um pouco de simplicidade, dentro dessa simplicidade, está a complexidade, e vice-versa. Dentro de cada árvores, majestosa, grande, há uma pequenina e frágil semente. É como também, a eternidade. Dentro da eternidade, está o fim, dentro do fim, a eternidade. Somos um ciclo, a natureza é um ciclo, o infinito é um ciclo. E tudo faz parte do todo que se chama Universo.

  E nós? Nós funcionamos da mesma forma: Somos simples, mas complexos. Para toda força, uma fraqueza. Uma coisa não existe sem a outra. "Para se ter coragem, tem que ter medo antes", ouvi em um filme. O pequeno torna-se grande. O cinzento torna-se colorido, enfim...

Nenhum comentário:

Postar um comentário