Páginas

sábado, 27 de agosto de 2011

Hoje eu me permito ser boba.

      Quem já foi aos últimos textos disso aqui, sabe que eu escrevi um textinho que talvez eu tenha até modificado. Essas minhas manias de sair modificando os textos, deletando e tal, tudo isso tem significado. Já vi gente ficar chateada com isso, mas essa enxugada que vivo dando no blog tem toda uma razão de ser. Ora, a gente muda o tempo todo, até sem ver.

       Acho que quando eu criei esse blog, tudo o que havia dentro de mim estava uma bagunça insuportável até para mim! Sei lá, acho que eu olhava para os textos, refletia, pensava, e nada de errado encontrava. Mas hoje, que as coisas mudaram, o mundo deu trocentas voltas e infinitas coisas aconteceram, vocês acham que eu teria a mesma forma de ver? Não tem como! Coisa que graças a Deus não sou e nem gostaria de ser, é uma garota de frases, opniões formadas. Eu quero é ter milhões de opniões que é para estar mudando de vez em quando! Evolução é assim: Eu nunca vou passar tempo demais com uma coisa formada na cabeça e repetindo para mim "é assim e pronto".

       Não estou dizendo que mudo de opnião como quem muda de roupa, só estou dizendo que nada permanece a mesma coisa. E se eu tiver algumas opniões em mente, e que aparentemente não mudo, para mim, que sou dona de mim e sei como funciona, eu sei que não exatamente não muda. Às vezes penso que as coisas que passam pela minha cabeça apenas ganham outra cara.

       Assim acontece com meus textos: Deleto, edito, mas nada que foi deletado foi totalmente apagado, porque sei que mais cedo ou mais tarde será reescrito com outras palavras, isso já aconteceu por aqui, não lembro com quais textos, mas já. E nada que é editado é totalmente mudado, mudam-se palavras, mas a idéia central é a mesma, talvez mais madura e menos equivocada, mas a mesma!

       Ok, e o texto é aquele que entitulei de forma óbvia, com uma frase que diz tudo: "Faça o que eu
digo, não o que eu faço". Não sei ao certo o destino que dei ao texto, se deletei, se editei, não lembro o que fiz. Mas se deletei, foi inocentemente achando que me libertei desse status de estagnação, achando que as coisas ganharam outros rumos. Mas sabe que não? Tudo sempre funcionou para mim dessa forma: Eu nunca quis em primeiro plano o que faço, porque se não for bom, que seja só para mim, não quero o mesmo destino para os outros. E sou dona de dar conselhos e não seguí-los às vezes (sou hipócrita por isso?). Mas se eu apenas o editei, talvez eu tenha só ressignificado a situação.

        Todos sabem que ninguém simplesmente esquece as coisas, senta no sofá e fica tudo bem. A situação não deixa de existir, ainda está lá, o que aconteceu foi que você deixou de dar a mesma atenção e importância que dava antes!

Nenhum comentário:

Postar um comentário